quinta-feira, 7 de abril de 2011

TIROS EM REALENGO


 Ainda sob o impacto das últimas notícias sobre o massacre no Rio, resolvi escrever dois pequenos textos:


Tiros em Realengo 1

Eles entraram pelo portão da escola e jogaram papeis no chão e ninguém fez nada...
Rabiscaram as paredes, rasgaram livros, jogaram merenda no chão e ninguém fez nada...
Mataram aulas, agrediram os colegas, colaram nas provas e ninguém fez nada...
Depois de algum tempo, eles invadiram nossas escolas e atiraram nas crianças. Agora é tarde demais para fazer qualquer coisa...


Tiros em Realengo 2

Eles entraram pelo portão da escola, jogaram papeis no chão e alguém os ensinou que essa atitude aumentava, desnecessariamente,  o trabalho de um servidor da escola...
Rabiscaram as paredes, rasgaram livros, jogaram merenda no chão e descobriram que estavam destruindo seu próprio patrimônio, sua própria casa e se arrependeram...
Mataram aulas, agrediram colegas, colaram nas provas e foram advertidos.  Compreenderam a necessidade de limites e refletiram sobre seus erros e as consequências desses atos em um futuro próximo...
Eles invadiram as escolas e dispararam sorrisos, distribuíram balas de hortelã aos alunos  e mataram a saudade que tinham da escola, dos professores e do tempo que eram estudantes.  Da porta de minha sala  (B5) observo-os andando pela escola e sei que fizemos a coisa certa!

Um abraço sociológico!

9 comentários:

  1. muito bom, parabens!!

    ResponderExcluir
  2. Como gostaria que todos os nossos alunos percebessem que os estudos, a escola podem fazer a diferença na vida deles. Para melhor.

    ResponderExcluir
  3. Adorei oo texto professor mostra ,mesmo como é a realidade nas escolas...Seei que nuum soo uma aluna excelete mas me esforço o maximo que posso para fazer minha parte...

    ResponderExcluir
  4. Como sempre, um ótimo olhar professor.
    É exatamente isso que suas aulas fazem: ótimos cidadãos!

    Creio que esse assassinato será meu próximo assunto no blog Pensamento Solto.

    O que aconteceu foi horrendo, e falarei do meu ponto de vista sobre o caso.

    ResponderExcluir
  5. Incrível texto Rogério, vc sempre mostra uma visão de como a situação por meio da educação, da gentileza, pode ser mudada e como as pessoas simplesmente ignoram isso.

    Segunda-feira fui a livraria, e vi o "Precisamos falar sobre Kevin", e até comentei com um conhecido, que se todas as pessoas tivessem conhecimento sobre isso, como a conversa, e o contato poderiam mudar muita coisa o fariam, e no dia seguinte acontece algo muito parecido no Rio, e mais próximo ainda de nós. E o fato é, enquanto não começarmos a mudar esse pensamento de que escola é aquela coisa quadrada isso acontecerá, e enquanto não Falarmos sobre Kevins, Wellingtons e tantos outros, continuaremos tendo chacinas e tantos outros crimes bárbaros.

    ResponderExcluir
  6. Como sempre Rogério e suas visões positivas,amei o texto lindo e muito interessante,ele tem um lado fofo e sociologico(até demais)do caso kkkk,professor Cárlinton não se preocupe muitos podem não levar pra vida pessoal o que você e o Rogéiro ensinam nas aulas,mas outros colocam isso em pratica a todo momento,e eu como aluna tenho muito orgulho de dizer que os melhores professores que tive foi no Cemtn,e que ao contrario do que pensam em colegio publico há sim bons professores que são aqueles que como vocês ensinam com muito prazer,e agradeço muito ter sido parte disso.
    Rogério nunca deixe de ensinar no seu blog,porque é com ele e com meu caderno que relembro e aprendo cada vez mais.

    ResponderExcluir
  7. Em uma sociedade dominada pela ideologia armamentista, de terror, violência e de consumo, é de extrema importância q se saiba o papel da escola e da educação na desconstrução dessa alienção toda...caso contrário casos como em Realengo e Columbine infelizmente voltaram a ocorrer.Parabéns Rogério e Cemtn por exercerem este papel importante na construnção de bons cidadãos.


    http://www.youtube.com/watch?v=zs_NLL7WW_4

    ResponderExcluir
  8. Daay Batista:

    Fiquei emocionada com os textos professor,realmente, muitos problemas poderiam ser evitados hoje, se há algum tempo atrás a educação e o apoio psicológico e social estivessem verdadeiramente presente nas escolas, fico contente com esse olhar e por estudar no CEMTN, onde posso ver que muitos estão de fato preocupados não só com a formação intelectual dos alunos, mas também com a formação social, espero ser no futuro um desses alunos que visitam nossa escola disparando sorrisos e matando a saudade.
    enfim, texto muito bom. bjs ;*

    ResponderExcluir
  9. Nossa Rogério.. a quanto tempo eu não ouço um comentário seu.. já estava com saudade!!

    Você será um professor que jamais sairá da minha mente, você, a Delma, o Leopoldo, todos vocês do CEMTN ajudaram a formar a pessoa que sou hoje, e mais importante que tudo, vocês plantaram em mim a semente do bom cidadão, me ensinaram a enxergar a vida com os olhos da solidariedade!! Tudo o que passei nos 3 anos de CEMTN foi completamente válido, e como deixou saudade.. Aluno Cidadão, Feira de Ciências, LITERATURA EM CENA.. que saudade!!!

    Obrigada por ter cultivado em mim e em tantos outros jovens o dom do respeito e da cooperação em sociedade..

    Rogério, não sei se você se lembra de mim, me formei em 2008, mas tenha certeza que lembrarei para sempre de todos os ensinamentos que recebi de todos vocês, Mestres da Vida!!

    ResponderExcluir