quarta-feira, 11 de abril de 2012

O CASO DA PONTE


O CASO DA PONTE


         JOÃO era casado com MARIA. Eles se amavam.

         Depois de um certo tempo, JOÃO começou a chegar cada vez mais tarde em casa.

         MARIA se sentiu abandonada e procurou PAULO, que morava do outro lado da ponte. MARIA voltava para casa sempre antes do marido chegar.

         Um dia, quando voltava para casa, encontrou um BANDIDO, atacando as pessoas que passavam na ponte. Ela correu de volta para a casa de PAULO e pediu proteção. Ele respondeu que não poderia ajudá-la e que o problema era dela.

         Ela, então, procurou um AMIGO. Este foi com ela até a ponte, mas acovardou-se diante do bandido e não teve coragem para enfrentá-lo.

         Resolveram procurar o BARQUEIRO mais abaixo do rio. Este aceitou levá-la por R$ 80,00 (oitenta reais), mas nenhum dos dois tinha dinheiro. Insistiram e imploraram, mas o BARQUEIRO foi irredutível. Aí voltaram para a ponte e o BANDIDO matou MARIA.

Atividade:

Coloque os seis personagens em ordem decrescente de culpa pelo que ocorreu no caso da ponte, isto é, no n.º 1 coloque o maior responsável pelo que ocorreu e os restantes em ordem decrescente, ficando no n.º 6 o menos culpado.




ATIVIDADE DE CAMPO
            Vamos iniciar o trabalho de compreensão das técnicas de pesquisa nas Ciências Sociais, assim durante essa semana faremos nossa primeira atividade de campo. Você vai elaborar um questionário envolvendo o texto “O Caso da Ponte” e após ler o texto para o entrevistado, vai solicitar que ele responda as questões que você elaborou. Obrigatoriamente, seu questionário deve conter questões de objetivas (marcar X) e subjetivas (perguntas para o entrevistado responder). O objetivo desse estudo é verificar de que maneira os Fatos Sociais interferem em nossa maneira de avaliar situações do dia a dia. Os questionários aplicados devem ser colados no caderno e você deve elaborar uma pequena análise das respostas encontradas durante a aplicação de seus questionários (mínimo 3). 





Comentário:
Em vez de buscarmos mais informações, vamos preenchendo os espaços vazios com suposições e fantasias que são sempre baseadas em nossas crenças, valores e sentimentos.
E, certamente cometemos injustiças...na maioria das vezes com aqueles a quem mais amamos.
Em termos lógicos o maior culpado é o bandido, pois nada justifica o crime. A menos culpada é a Maria, que teve o maior prejuízo. No entanto, a classificação depende do que carregamos dentro de nós, fruto  da influência dos Fatos Socias que interferem em nossas crenças, valores e sentimentos.

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Há muitas questões a ser discutida neste caso, farei apenas as colocações dos principais culpados: 1º culpado é o bandido, ele tirou a vida da Maria(há um forte equívoco de análise dizer que ela morreu porque traiu, digo somente se Maria tivesse atravessado a ponte para ir a igreja orar, nós colocariámos a culpa nela?)
    2º culpado o barqueiro, é o único que verdadeiramente poderia ajudar Maria, mas em uma sociedade capitalista é "normal" explorar o ser humano e desconsiderar os valores de solidariedade e fraternidade. Clovis Loureiro (loureirus@hotmail.com)

    ResponderExcluir