sábado, 12 de fevereiro de 2011

PRIMEIRAS REFLEXÕES



Começando 2011...
Rogério Póvoa
          Certa vez li um texto de Rubem Alves em que ele contava uma história sobre um ipê, igualzinho a esse que temos no estacionamento da escola e que vocês ainda terão a oportunidade de vê-lo florir (como na época em que essa foto foi tirada).
          No texto, Rubem Alves conta a história de uma mulher que se mudou para uma casa com um pé de ipê plantado em sua calçada. Na casa ao lado morava um poeta. Na primeira florada do ipê, um mar de flores amarelas cobriu a frente das duas casas. Ao abrir sua janela o poeta suspirou admirado e, encantado com aquela “chuva de ouro”, sentiu-se mais próximo de Deus. Quando a mulher viu a mesma cena, pegou imediatamente sua vassoura e, com raiva da sujeira que as flores haviam feito na frente de sua casa, dedicou-se a varrer e praguejar aquela maldita árvore.
          Que relação existe entre essa história e o CEMTN? Simples: há pessoas de visão perfeita mas que nada veem. O ato de ver não é coisa natural, precisa ser aprendido. Alguns de vocês, olhos de faxineira, vão achar que nossa escola é um lugar horrível, uma prisão, vão considerar os professores como inimigos e vão passar meses praguejando o “maldito CEMTN”. Outros, olhos de poeta, entenderão que o conhecimento transmitido pela escola ajuda a ver as coisas de uma forma melhor, seu mundo se expande, ele fica mais rico interiormente e que os professores podem se tornar parceiros de uma jornada incrível e única.
          Desejo boas vindas a todos os meus alunos (novos e velhos) e torço para que haja tempo para reaprendermos a olhar pois “Quando a gente abre os olhos, abrem-se as janelas do corpo, e o mundo aparece refletido dentro da gente.”
          Um abraço Sociológico.

10 comentários:

  1. Rogério,

    Ficou lindo esse texto. Muito bem observado, mestre. Vou usar nas minhas aulas, pode?
    Saudades da galera. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Claro Delma e obrigado pelo "olhar" de poeta ao ler o texto...

    ResponderExcluir
  3. Oii prOfessOr sOu sua aluna sarah dO 1° I eu achei esse textO um certa parte mOralista e a Outra parte etcnista..uma abraçO mestre adOreii vc cOmO prOf e tO adOrandO sOciOlOgia

    ResponderExcluir
  4. como agente tem sorte de ter o melhor professor!!Rogerio vc é d+...é um grande prazer ter aulas com vc...

    ResponderExcluir
  5. Olá professor sou a aluna Danielle do 1° L... E adorei o que o senhor escreveu no texto... Pois isso faz todo o sentido,A pessoas que acham certas coisas um 'lixo' e outras que já acham uma maravilha!! Adorei a aula que tivemos com o senhor e espero que daqui pra frente isso melhore cada vez mais!!.... Tchau Ate a próxima aula!

    ResponderExcluir
  6. Danielle, que bom que entendeu! Espero que as próximas aulas sejama cada vez melhores e que posssamos aprender juntos a lição do poeta!

    ResponderExcluir
  7. Obrigado Pedro! Será um grande prazer para mim também!

    ResponderExcluir
  8. Sarah, arruma esse teclado!! kkkk
    Você tem razão, uma parte do texto indica um compottamento moral e outro ético. Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. nossa vendo esse lindo texto pude perceber o quanto é impotrante dar valor no que temos nas mão hoje ,pude perceber após refletir que realmente vou poder realizar meu sonho . que é não apenas me formar mais sim amar e fazer com vontade minha vocação , obrigada por está fazendo parte da formação do meu caracter Rogério , amei as sua aulas , e acho que realmente vou poder contar com você para me ajudar a ser uma proficional exelente,e com certeza o CEMTN vai conseguir mudar a vida dessa sociedade tão carente de sabedoria.

    by:elaine garcias '1g'

    ResponderExcluir
  10. Que belo comentário Elaine.
    É muito bom saber que posso contar contigo nessa caminhada...
    Um abraço Sociológico.

    ResponderExcluir